Turismo de Base Comunitária em Remanescentes de Quilombos no Vale Do Ribeira, São Paulo, Brasil

Autores/as

  • Juliana Ferreira da Silva Universidade Federal do Paraná, Brasil
  • Bruno Martins Augusto Gomes Universidade Federal do Paraná, Brasil
  • Anna Carolina Vargas de Faria Universidade Federal do Paraná, Brasil

Palabras clave:

Turismo de base comunitária. Remanescentes de quilombos. Economia solidária. Comunidades. Vale do Ribeira

Resumen

Em contraponto ao atual modo de produção capitalista, é possível observar o surgimento de práticas alternativas como o turismo de base comunitária, que tem como alicerces a integração com o local, o protagonismo comunitário, a autogestão e a cooperação. Os remanescentes de quilombos do Vale do Ribeira de São Paulo apostam nesse turismo como alternativa para seu desenvolvimento. Diante disso, o presente estudo objetiva abordar o turismo de base comunitária a partir da realidade dos remanescentes de quilombos do Vale do Ribeira paulista. Para tanto, a partir das abordagens qualitativa e de estudo de caso, foram analisados a página oficial do Circuito Quilombola e três documentos elaborados pelo Instituto Socioambiental. Esses documentos traduzem a realidade das comunidades ao longo dos anos e congregam ações relacionadas ao turismo. Os resultados apontaram que o turismo é trabalhado em conjunto com princípios da economia solidária nas comunidades em diversos processos, como na constatação do interesse na implementação do turismo, nas reflexões e nos debates comunitários, na inventariação dos patrimônios e na formação de redes entre comunidades. Como conclusões, é constatado o potencial transformador do turismo como estratégia para o desenvolvimento e sua eficiência para fortalecer a cultura de solidariedade, de cooperação e de autogestão. Observou-se que a economia solidária e o turismo são fatores que se fortalecem mutuamente nessas comunidades.

Biografía del autor/a

Juliana Ferreira da Silva, Universidade Federal do Paraná, Brasil

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas. Universidade Federal do Paraná.

Bruno Martins Augusto Gomes, Universidade Federal do Paraná, Brasil

Professor do Departamento de Turismo da Universidade Federal do Paraná (UFPR) atuando no Programa de Pós-graduação em Políticas Públicas e no Bacharelado em Turismo. Editor da revista científica Turismo e Sociedade. Líder do grupo de pesquisa Turismo e Sociedade (UFPR). Pesquisador do Núcleo de Estudos em Instituições (UFPR), do Observatório de Conselhos de Curitiba (UFPR) e do Núcleo de Pesquisas em Políticas Públicas de Turismo (UnB). Coordenador do Centro de Estudos do Legislativo, Executivo e o Turismo (UFPR). Trabalha principalmente com os seguintes temas: políticas públicas, turismo, conselhos, economia institucional e direito. Doutor em Políticas Públicas pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Mestre em Administração pela Universidade Federal de Lavras (UFLA). Bacharel em Turismo pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). Graduação em Direito (em andamento FESP-PR)

Anna Carolina Vargas de Faria, Universidade Federal do Paraná, Brasil

ossui graduação em Turismo pelo Centro Universitário Positivo (2002) e Especialização em Gestão Social de Políticas, Programas e Projetos Sociais pela PUC-PR (2005). Trabalha com o desenvolvimento de planos, programas e projetos de desenvolvimento e fomento da atividade turística, em diversas localidades do Brasil. Já atuou como coordenadora pedagógica da Escola de Hotelaria e Restauração de Luanda, Angola. Foi Presidente da Rede Empresarial do Centro Histórico de Curitiba. Atualmente realiza projetos como consultora em projetos os quais envolvem, principalmente, os seguintes temas: desenvolvimento, fomento e gestão pública do turismo, desenvolvimento urbano, cidadania, cultura, planejamento e participação.

Citas

Abbagnano, N. (2007). Dicionário de Filosofia. São Paulo: Martins Fontes.

Acosta, A. (2016). O Bem Viver. São Paulo: Autonomia Literária.

Anjos, R. S. A. (1999). Territórios das comunidades remanescentes de Antigos A599 Quilombos no Brasil: primeira configuração espacial. Brasília: Edição do autor.

Bursztyn, I. (2009). Políticas públicas de turismo visando à inclusão social. Dissertação de mestrado, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Bursztyn, I.; Bartholo, R & Delamaro, M. (2009). Turismo pra quem? Sobre caminhos de desenvolvimentos e alternativas para o turismo no Brasil. In Bartholo, R., Sansolo, D. G. & Bursztyn, I. (Org.). Turismo comunitário: diversidade de olhares e experiências brasileiras (pp. 76-91). Rio de Janeiro: Letra e Imagem.

Comparato, F. K. (2006). Ética. São Paulo: Companhia das Letras.

Conti, B. R., Rocha, L. R. V. G. & Viteze, N. N. (2018). Economia Solidária e Turismo comunitário: conexões teóricas e os movimentos sociais no estado do Rio de Janeiro. Observatório de Inovação do Turismo - Revista Acadêmica, 12(2), 1-21.

Cruz, R. C. A. (2009). Turismo, produção do espaço e desenvolvimento desigual: para pensar a realidade brasileira. In Bartholo, R., Sansolo, D. G. & Bursztyn, I. (Org.). Turismo comunitário: diversidade de olhares e experiências brasileiras (pp. 92-107). Rio de Janeiro: Letra e Imagem.

Fletcher, R. (2016). Tours caníbales puesto al día: La ecología política del turismo. Ecologia Política. Barcelona, 52, 26-34.

Fletcher, R. (2019). Neoliberalismo y turismo. In Cañada, E. & Murra, I. Turistificação global. Perspectivas críticas sobre turismo. Barcelona: Icaria.

Graciano, P. F. & Holanda, L. A. (2020). Análise bibliométrica da produção científica sobre turismo de base comunitária de 2013 a 2018. RBTUR – Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, 14(1), 161-179.

Instituto Socioambiental. (2008). Agenda Socioambiental de Comunidades Quilombolas do Vale do Ribeira. São Paulo. Recuperado em 10 agosto, 2020, de https://www.socioambiental.org/sites/blog.socioambiental.org/files/publicacoes/agenda.pdf.

Instituto Socioambiental. (2010). Relatório Técnico do I Encontro Nacional de Turismo em Comunidades Quilombolas. Registro, São Paulo, Brasil.

Instituto Socioambiental. (2013). Inventário Cultural de Quilombos. Recuperado em 10 agosto, 2020, de https://acervo.socioambiental.org/acervo/publicacoes-isa/inventario-cultural-de-quilombos-do-vale-do-ribeira.

Instituto Socioambiental. (2021). O ISA. Recuperado em 16 março, 2021, de https://www.socioambiental.org/pt-br/o-isa.

Irvin, M. A. Reinventando a reflexão sobre turismo comunitário: inovar é possível? In Bartholo, R., Sansolo, D. G. & Bursztyn, I. (Org.). Turismo comunitário: diversidade de olhares e experiências brasileiras (pp. 108-121). Rio de Janeiro: Letra e Imagem.

Lisboa, A. M. (2017). Economia Compartilhada – Economia Solidária: interfaces,

continuidades, descontinuidades. Revista NECAT, 6(11), 8-32.

Mineiro, F. (2007). Economia Solidária. Natal: Assembleia Legislativa.

Nascimento, C. (2003, dezembro). A autogestão e o ‘novo cooperativismo’. Seminário Nacional de Autogestão. In Anexo de “Do ‘beco dos sapos’ aos canaviais de Catende”. Recuperado em 16 março, 2021, de http://www.mom.arq.ufmg.br/mom/18_ref_capes/arquivos/arquivo_131.pdf

Pateo, F. V. & Sígolo, V. (2006, julho). Um estudo sobre desenvolvimento local solidário: conceitos e estratégias. Texto apresentado no Encontro Internacional de Economia Solidária, São Paulo, SP, Brasil, 4.

Richardson, R. J. (1999). Pesquisa Social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas.

Sampaio, C. C. & Oyarzun, E. M. (2005). Turismo com base local: análisis comparativos de experiencias de turismo comunitario en Brasil y Chile. Anais Jornadas y Simposio Internacional de Investigación y Acción en Turismo, Bahía Blanca: Universidad Nacional del Sul – Ediuns.

Sampaio, C. A. C., & Zamignan, G. (2012). Estudo da demanda turística: experiência de turismo comunitário da microbacia do rio Sagrado, Morretes (PR). Cultur - Revista de Cultura e Turismo, 6(1), 25–39.

Souza, J. C. (2016). Turismo Rural e Comunitário como vetores para o fortalecimento de cadeias agroalimentares familiares e agroecológicas. Cenário: Revista Interdisciplinar Em Turismo E Território, 4(7), 115– 127.

Timothy, D. J. Destination Communities and Responsible Tourism. In Leslie, D. (Org.). Responsible Tourism. Boston: Cabi, 2012.

Veal, A. J. (2011). Metodologia de pesquisa em lazer e turismo (Gleice Guerra & Mariana Aldrigui, Trad.). São Paulo: Aleph.

Publicado

2021-09-14

Cómo citar

Ferreira da Silva, J., Martins Augusto Gomes, B., & Vargas de Faria, A. C. (2021). Turismo de Base Comunitária em Remanescentes de Quilombos no Vale Do Ribeira, São Paulo, Brasil. Turismo, Desarrollo Y Buen Vivir. Revista De Investigación De La Ciencia Turística- RICIT, (15), 50–65. Recuperado a partir de https://publicaciones.udet.edu.ec/index.php/ricit/article/view/85